Vizinho

Quem nunca foi vizinho?

No Brasil o dia do vizinho é comemorado em duas datas: 23 de dezembro e 20 de agosto. Já pesquisei bastante e não encontrei a motivação da comemoração em dezembro. Já, dia 20 de agosto é o dia do nascimento da poetisa Cora Coralina que teve a ideia de comemorar a data e por isso recebeu a homenagem.

Essa relação é delicada e curiosa. Muita gente se conhece no elevador e vira amigo da vida inteira. Nada mais confortável do que ter alguém em quem se confia e que se pode contar para todas as horas a um elevador de distância.  Porém, a  grande maioria das pessoas tem com o vizinho só uma relação de garagem e elevador.

É que a vizinhança é mesmo, à primeira vista,  uma convivência forçada. No condomínio as pessoas compartilham a vida: barulhos, filhos adolescentes, festas, doenças. Coisas íntimas que a gente prefere guardadas. Mas, a verdade é que o vizinho sempre sabe mais da gente do que a gente imagina.

Ela separou, casou, engordou, deixou o filho de castigo, brigou com a empregada, comprou carro novo, trocou de namorado. o vizinho sabe tudo que a casa da gente conta Tenho pensado muito em como equilibrar essa relação.

Algumas coisas eu aprendi:  convivência forçada não funciona, gentileza e educação no condomínio são tão  fundamentais como escovar o dente quando a gente sai da cama; e sim há um equilíbrio saudável e possível entre a frieza e a invasão de privacidade nessa relação.

O vizinho escolheu assim como você morar naquele bairro, naquele prédio. Não raro, matricula o filho na mesma escola, tem a família mais ou menos do mesmo tamanho e pode construir com você um ambiente muito mais legal pra se viver dentro do condomínio. Tantas iniciativas bacanas podem encurtar distâncias…

Caronas que podem salvar do rodízio, ajudam a levar as crianças na escola, economizar táxi e claro, o número de carro nas ruas. É tão simples de implantar, basta um quadro de aviso com itinerários e uma conversa pelo interfone.

Vizinhança solidária que atua na preservação da segurança patrimonial. Ajuda em emergências como a falta de uma babá ou algum adulto responsável para olhar por meia hora as crianças. Compartilhamento de aulas de idiomas, professores de ginástica entre outros serviços que podem ser contratados por dois ou mais vizinhos

A diversão também conta. É tão comum condomínios que promovem festas juninas, festas de natal e sempre esses encontros costumam ser ótimos e ajudam as pessoas a se conhecerem e encontrarem  afinidades.

Para começar um novo jeito de conviver com seu vizinho de porta, você pode escolher, como a Cora, o dia 20 de agosto. Um parabéns, um bolinho, um sorriso a mais no elevador.

 

Confira nossas postagens sobre assuntos que melhoraram seus entendimentos em condomínios!

Fonte: sao-paulo.estadao.com.br  /  ANGÉLICA ARBEX

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *