Exceções para agradar condôminos: entenda como elas podem ser prejudiciais.

142 Grupo Sea - Administração de condomínios em Osasco | Grupo SEA

Índice

Artigo alerta para o perigo dos síndicos abrirem exceções só para agradar os moradores. No futuro, as coisas podem se complicar

Em meados de 1978, uma série americana fez um estrondoso sucesso na TV brasileira chamada “Ilha da Fantasia”.

A estória se desenvolvia em torno de um anfitrião de uma ilha, que realizava todos os desejos de seus hóspedes. O senhor Roarke e seu auxiliar, o pequeno Tattoo,  sempre  simpático e impecavelmente vestidos de smoking branco, esperavam por seus convidados.

Mas as fantasias sempre tinham um preço a pagar, tal como as atitudes irresponsáveis e unilaterais de um síndico.

Tal como o misterioso senhor Roarke, um homem que supostamente podia fazer os desejos das pessoas se tornarem realidade, auxiliado por Tattoo, os síndicos perigosamente também realizam algumas vontades dos seus condôminos, sem mensurar os riscos que correm.

Esse é o grande perigo. Realizar aquilo que condôminos desejam, que normalmente são exceções que no futuro podem causar inúmeros dissabores ao gestor.

Exemplo prático de pedidos/exceções atendidas pelo síndico e os riscos

Estas são algumas realizações de “fantasias” que podem complicar os síndicos em qualquer momento:

  • Liberar um salão de festas para um estranho (em contrário às normas do regimento que proíbem)
  • Autorizar a entrada de banhistas na piscina
  • Liberar a sauna para qualquer um

Sabe por quê?

Essas concessões, que no primeiro momento surgem como uma ajuda descompromissada, podem no futuro se tornar um motivo de discórdia entre o síndico e este condômino beneficiado, simplesmente por causa do precedente.

No momento em que, você, síndico, não permitir qualquer outra “fantasia” daquele condômino, por qualquer motivo que seja, o mundo cairá sobre a sua cabeça.

Me recordo numa assembleia de um condômino que, literalmente, entregou um síndico sem nenhuma piedade.

Aquele inocente condômino, na situação de inadimplente, cercou o síndico e o pediu para liberar multas e juros, obtendo êxito na sua abordagem.

Nosso amigo síndico, achando que tinha tal autonomia e poderia fazer a concessão, cedeu a pressão liberou as multas, juros e correções do devedor.

Pois é, o mundo gira.

Meses depois, numa assembleia, um outro morador também solicitou desconto nas taxas vencidas, mas teve o pedido negado pelo mesmo síndico.

O morador que outrora havia sido beneficiado, questionou o síndico:

“Como assim? Não estou entendendo sua posição. Você liberou minhas multas e juros há alguns meses, e agora não quer abrir mão para meu vizinho? Ele tem o mesmo direito que eu, senhor síndico! “.

Sem qualquer possibilidade de resposta ou justificativa, o síndico se sentiu tão humilhado que naquele momento, na presença de mais de cinquenta moradores, pediu renúncia do cargo e saiu cabisbaixo da reunião. Em seguida, vendeu seu imóvel e se mudou do condomínio meses depois.

Moral da história

Não realize a “fantasia” de seu condômino. Haja dentro dos limites estabelecidos pela sua convenção, cumpra as regras, seja exemplo e não permita concessões, porque um dia, aquele condômino que você beneficiou poderá deixá-lo numa situação constrangedora.

Dica: Não faça do seu condomínio uma “ilha da fantasia”, onde todos os desejos dos condôminos são realizados. Simplesmente seja profissional!

Fonte: Síndiconet

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post [type]

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Cta Post.png - Administração de condomínios em Osasco | Grupo SEA
Veja também

Posts Relacionados

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?   Em um ambiente condominial, manter uma convivência harmoniosa entre os moradores é crucial para preservar um ambiente agradável e seguro para todos. No entanto, é comum surgirem questionamentos e desacordos quanto à interpretação das normas que regem o funcionamento do condomínio, especialmente em relação à convenção

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças O que é fundo de reserva?  A gestão financeira é um dos aspectos mais cruciais na administração de um condomínio. Isso porque ela é essencial para manter as contas em ordem e garantir a manutenção da estrutura e das áreas comuns do condomínio. Existem dois

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis   O síndico é a pessoa designada legalmente para representar o condomínio. Entre suas responsabilidades estão a administração do condomínio, a garantia do cumprimento das regras para promover uma convivência harmoniosa entre os moradores, o fornecimento de prestação de contas e outras obrigações estabelecidas

Recomendado só para você
Lello indica 5 práticas simples para aplicar no seu empreendimento…
Cresta Posts Box by CP