Veja quais requisitos são necessários para se tornar um síndico!

Índice

Vai candidatar-se a Síndico? Saiba por onde começar!

Para ser síndico de um condomínio é necessário algumas habilidades e, principalmente, ter conhecimento sobre a função. Mas por onde começar?

Sabemos que o síndico é o representante legal do condomínio, e escolher aquele que estará à frente da gestão condominial não é tarefa simples para os condôminos, já que uma administração ineficiente pode trazer caos ao condomínio.

Por isso, se você pretende candidatar-se a síndico do seu condomínio ou atuar como síndico profissional, é preciso conhecer bem a função para a qual está se candidatando.

Dispõe o artigo 1.347 do Código Civil que: “A assembleia escolherá um síndico, que poderá não ser condômino, para administrar o condomínio, por prazo não superior a dois anos, o qual poderá renovar-se”.

É fundamental conhecer a convenção condominial, pois nela também constam as regras para a eleição de síndico.

Porém, ainda não é o bastante. Você também precisará buscar entender os principais requisitos para ser síndico de acordo com o perfil do condomínio para o qual está se candidatando.

Quero ser Síndico! Por onde começar?

O trabalho do síndico, seja ele morador ou profissional, é fundamental para a vida condominial.

É notório que não é fácil o convívio de diversas pessoas num mesmo local, por isso o síndico deve sempre buscar tornar o ambiente coletivo o mais agradável e pacífico possível.

Dessa maneira, para exercer tal função é indispensável, além de conhecer a legislação, ter muita dedicação, cuidado e disponibilidade de tempo.

O síndico é o responsável pela administração do condomínio. Assim, antes de candidatar-se, é essencial você entender as obrigações legais que a função engloba. Vejamos então:

Conforme dispõe o artigo 1.348 do Código Civil, compete ao síndico:
    1. convocar a assembleia dos condôminos;
    2. representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns;
    3. dar imediato conhecimento à assembleia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio;
    4. cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia;
    5. diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;
    6. elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano;
    7. cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas;
    8. prestar contas à assembleia, anualmente e quando exigidas;
    9. realizar o seguro da edificação.

Os parágrafos 1° e 2° ainda dispõem que: “poderá a assembleia investir outra pessoa, em lugar do síndico, em poderes de representação”; bem como que “o síndico pode transferir a outrem, total ou parcialmente, os poderes de representação ou as funções administrativas, mediante aprovação da assembleia, salvo disposição em contrário da convenção”.

Veja que no caso do parágrafo 2° o síndico, apesar de ser o representante legal do condomínio, poderá contar com um suporte extra para auxiliar sua gestão e tomadas de decisões.

O trabalho do síndico é essencial à vida condominial, sendo que o exercício desta função está cada vez mais complexo, o que consequentemente gera maiores responsabilidades. Logo, é importante dividir atividades na gestão do seu condomínio, seja com o subsíndico, zelador, gerente predial, administradora etc.

Como se vê, antes de preparar sua proposta para concorrer ao cargo de síndico, é preciso ter conhecimento da complexidade dessa função.

Mas se você já buscou conhecimento e entende estar habilitado para exercer a atividade, chegou a hora de apresentar sua proposta ao condomínio.

A votação será realizada em assembleia geral, convocada especialmente para este fim, geralmente com a prestação de contas do atual síndico e orçamentos previstos para o novo gestor.

É essencial que o síndico seja uma pessoa qualificada para atender as demandas do condomínio, além de manter uma comunicação objetiva buscando um bom relacionamento com moradores e funcionários.

E lembre-se sempre: não basta ser eleito – o síndico é responsável por planejar, organizar e manter a ordem e a segurança do condomínio que o elegeu.

Fonte: Vivaocondominio

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post [type]

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Cta Post.png - Administração de condomínios em Osasco | Grupo SEA
Veja também

Posts Relacionados

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?   Em um ambiente condominial, manter uma convivência harmoniosa entre os moradores é crucial para preservar um ambiente agradável e seguro para todos. No entanto, é comum surgirem questionamentos e desacordos quanto à interpretação das normas que regem o funcionamento do condomínio, especialmente em relação à convenção

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças O que é fundo de reserva?  A gestão financeira é um dos aspectos mais cruciais na administração de um condomínio. Isso porque ela é essencial para manter as contas em ordem e garantir a manutenção da estrutura e das áreas comuns do condomínio. Existem dois

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis   O síndico é a pessoa designada legalmente para representar o condomínio. Entre suas responsabilidades estão a administração do condomínio, a garantia do cumprimento das regras para promover uma convivência harmoniosa entre os moradores, o fornecimento de prestação de contas e outras obrigações estabelecidas

Recomendado só para você
Fundo de reserva de condomínio: como funciona e como usar…
Cresta Posts Box by CP