As paredes do seu condomínio estão doentes? Entenda como lidar com elas!

142 Grupo Sea (6) - Administração de condomínios em Osasco | Grupo SEA

Índice

“Doenças” em paredes: tratamento prévio de patologias como mofo e fissuras interfere diretamente na qualidade da pintura.

Paredes também podem “adoecer” e comprometer a aparência de qualquer ambiente. Patologias como mofo, fissuras e estufamento, entre outras, podem surgir em qualquer superfície, seja alvenaria, gesso, metal ou madeira. De nada adianta fingir que elas não existem e pintar por cima, é como jogar a sujeira para debaixo do tapete. Essas patologias precisam ser tratadas de forma profissional e adequada antes de a superfície receber qualquer acabamento.

O que poucos sabem é que a mão de obra qualificada de um profissional faz toda a diferença na hora de diagnosticar essas patologias. “Um profissional qualificado é capaz de detectar o problema olhando e passando a mão sobre a superfície. Com o diagnóstico adequado, ele poderá fazer um bom trabalho, que não trará dores de cabeça ao cliente no futuro”, explica Felipe Comelatto, técnico em produtos da Futura Tintas, fabricante nacional de tintas, vernizes, esmaltes, massas e resinas.

Qualificação

Felipe esclarece, ainda, que cada problema exige um procedimento diferente, o que aumenta a importância da qualificação do pintor. “Para o tratamento de superfícies com mofo, por exemplo, é necessária a eliminação através da limpeza com água sanitária, diluída 1:1 com água limpa. Somente após esta limpeza, seguida do enxague e secagem da parede, é que podemos aplicar a tinta. Para fissuras é necessário aplicar tinta emborrachada ou outros produtos específicos para essas lesões”.

Não detectar previamente esse tipo de problema e a solução para ele acarretará em trabalho dobrado, uma vez que as patologias irão reaparecer na superfície. “É dever do pintor indicar aos clientes as tintas e os materiais específicos para cada caso. Por isso, o ideal é buscar um profissional qualificado. A maioria dos pintores ainda tem bastante dúvida, principalmente sobre como resolver esses problemas exemplificados”, afirma o técnico.

A qualificação é percebida pelo cliente logo nos primeiros contatos. “O contratante percebe na hora em que o pintor apresenta o orçamento, pois ali devem conter todas as informações sobre problemas existentes nas paredes e outras superfícies e como resolvê-los, de maneira detalhada. Isso diferencia o profissional e aponta o nível de conhecimento que ele tem sobre os dados apresentados”, esclarece o profissional.

Prevenção da “doença”

Para evitar que possíveis patologias surjam nas construções, quando a superfície é nova e ainda não recebeu nenhum acabamento, também é importante que o pintor tenha conhecimento sobre os materiais mais adequados para cada tipo de parede.

Hoje é possível encontrar dois tipos de paredes mais usadas em construções: alvenaria e gesso acartonado. Por serem estruturalmente diferentes, existe uma forma de preparação para cada tipo de superfície. Na parede de gesso, por exemplo, pode-se aplicar tinta para gesso ou tintas tradicionais. “Mas, neste caso, é necessário aplicar um fundo preparador como primeiro passo, devido à presença de partículas soltas que vão prejudicar a adesão da tinta”, explica Felipe.

Já em uma parede de alvenaria, pode-se fazer três tipos de procedimento: usar o fundo (selador ou preparador) e fazer o acabamento (tinta ou textura); aplicar o fundo e a massa e só depois o acabamento; ou aplicar a massa e finalizar com o acabamento. “A especialização é um diferencial, pois o profissional deve saber orientar seu cliente na questão do uso dos materiais”, finaliza o técnico em produtos.

Estrutura do futuro

Para formar pintores cada vez mais qualificados para atender às reais demandas do mercado de pintura imobiliária, além de despertar nos pintores um novo olhar sobre a sua profissão e vida pessoal, a Futura Tintas criou a Universidade Futura do Pintor, que oferece cursos para profissionais que já atuam no ramo e pessoas que queiram se especializar nesta área.

A Universidade Futura do Pintor está sediada em São Paulo, no bairro Belenzinho. Em um espaço de 1.800 m2, oferece estrutura completa para que os alunos tenham educação empreendedora e qualificação técnica, com salas de aula, laboratório de inclusão digital e uma vila com cinco casas cenográficas para treinar a profissão de pintor imobiliário.

O processo de aprendizagem tem duração de cinco semanas e é dividido entre a “Academia do Pintor”, para pintores profissionais que desejam maior qualificação, e “Escola do Pintor”, para quem aspira entrar na profissão. Dentro da Universidade há ainda uma loja para que os alunos adquiram materiais e ferramentas para serem utilizados durante as aulas, e paguem com a moeda corrente da Universidade, o Futuro, que é conquistado através da entrega de atividades diárias.

Fonte: Redepress

Fonte: Viva o Condomínio

PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

Classifique nosso post [type]

Compartilhe nas redes:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

Precisa de uma contabilidade que entende do seu negócio ?

Encontrou! clique no botão abaixo e fale conosco!

Cta Post.png - Administração de condomínios em Osasco | Grupo SEA
Veja também

Posts Relacionados

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?

Conflitos entre convenção e regimento interno: Qual vale?   Em um ambiente condominial, manter uma convivência harmoniosa entre os moradores é crucial para preservar um ambiente agradável e seguro para todos. No entanto, é comum surgirem questionamentos e desacordos quanto à interpretação das normas que regem o funcionamento do condomínio, especialmente em relação à convenção

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças

Fundo de reserva e fundo de obras: entenda as diferenças O que é fundo de reserva?  A gestão financeira é um dos aspectos mais cruciais na administração de um condomínio. Isso porque ela é essencial para manter as contas em ordem e garantir a manutenção da estrutura e das áreas comuns do condomínio. Existem dois

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis

Quando o síndico pode ser processado? Veja lei e casos possíveis   O síndico é a pessoa designada legalmente para representar o condomínio. Entre suas responsabilidades estão a administração do condomínio, a garantia do cumprimento das regras para promover uma convivência harmoniosa entre os moradores, o fornecimento de prestação de contas e outras obrigações estabelecidas

Recomendado só para você
O processo de mudança envolve muito mais do que alterar um endereço.…
Cresta Posts Box by CP